BEM-VINDO AO MEU BLOG!

Aqui no meu blog você vai achar dicas de Computer Music, especialmente de Pro Tools, Reason, Live, áudio profissional e Homestudio. Alguns trabalhos artísticos que eu fiz também têm seu espaço. Há muita informação legal nos comentários. Use a caixa de pesquisa logo abaixo para achar um assunto que você está procurando.

Boa navegação!

Komplete 7

A pedido da AM&T

A Native Instruments, famosa fabricante de excelentes produtos, como instrumentos virtuais, plug-ins de efeitos, interfaces de áudio, superfícies de controle e softwares para DJs lançou a pouco o novo pacote de softwares Komplete 7.
A primeira coisa que impressiona é: 90Gb de dados!
90? Onde que vamos por isso tudo? "Por" é metade do problema, a outra metade é: "Como acessar tudo isso". 

Instrumentos virtuais geralmente não conseguem ser alocados na memória RAM e precisam ser acessados em tempo real do disco, portanto seu disco rígido atual pode ser um problema no setup e se você sofre como eu pela constante falta de espaço em disco rígido talvez seja a hora de comprar um HD externo novo; possivelmente mais um. 

Se este é o caso eu sugiro que você escolha um modelo eSATA de 7200RPMs, mas você vai ter que ter essa porta na sua máquina e nem todos os computadores têm (especialmente notebooks apple). Em segundo lugar você pode optar por um que tenha  conectividade Firewire (se for 800 melhor ainda) e que tenha também um HD de 7200RPMs dentro. Se você acertou as seis dezenas recentemente você pode trocar o HD interno por um SSD de 512Gb que vai ser o top, mas só até a semana que vem. 

Esqueça os HDs externos do tipo slim, com porta USB e com míseros 5400RPMs, o Komplete 7 não vai rolar legal deles. 

Caso queira ser abusado você pode instalar o Komplete 7 no servidor da empresa para usar fora do expediente; aproveite, pois lá deve ter um SCSI ou um SAS em RAID com 15000RPMs a 6GB/s em 3ms, mas seu chefe talvez não goste. 

Voltando à Terra: Não esqueça de colocar o Komplete 7 na mesma partição do sistema, caso você tenha um HD só.

Muito bem, outra solução é não instalar tudo, mas aí não faz muito sentido ter adquirido o Komplete 7 em primeiro lugar, não é mesmo? 

Como o Kontakt 4 incluso no pacote é o responsável pela maior parte dos acessoas à gigante biblioteca de instrumentos multi-sampleados, há uma ferramenta interessante que resolve a questão do acesso quando temos várias instâncias do sofware, esta chama-se Memory Server (que já estava presente na versão 3.5 e que só roda em Mac OS X Leopard em diante). 

Este recurso permite que você aloque Samples na memória RAM, mesmo que estes excedam a quantidade permitida a aplicativos rodando no sistema operacional de 32 Bits (que é de 4Gb). Sendo assim você pode ter um "conjuntinho" de plaquinhas de memória RAM no seu dual 16 Core (tipo 64Gb!) e carregar os samples nelas, evitando acesso ao disco rígido. Para habilitar esta função simplesmente abra o Kontakt 4, clique no botão Options e depois na guia Memory e habilite a caixa Use Memory Server. Será necessário reiniciar o software. Um ícone indicativo aparece na barra do Finder exibindo a quantidade usada.
Figura 2
Depois de ter solucionado a localização da biblioteca e o acesso à ela vamos ver  uma lista com os softwares que vem no pacote e um breve descritivo destes:

Figura 3
ABSYNTH 5 - Sintetizador semi-modular
BATTERY 3 - Sampler de bateria 
FM8 - Sintetizador 
FM GUITAR RIG 4 PRO - Rack de efeitos 
KONTAKT 4 - Sampler com 43Gb de samples 
MASSIVE - Sintetizador 
REAKTOR 5.5 - Suíte de recursos para criação sonora 
ABBEY ROAD 60s DRUMS - 2 Kits de bateria sampleados do Abbey Road 
ACOUSTIC REFRACTIONS - 100 instrumentos variados para Kore Player 
BERLIN CONCERT GRAND - Um piano Bechstein D280 multi-sampleado 
NEW YORK CONCERT GRAND - Um piano Steinway & Sons D multi-sampleado 
RAMMFIRE - Emulador de Amp assinado pelo Richard Z. Krusp do Rammstein 
REAKTOR PRISM - Sintetizador polifônico 
REAKTOR SPARK - Sintetizador baseado no Reaktor 
REFLEKTOR - Reverb de convolução 
SCARBEE A-200 - Um Wurlitzer A-200 multi-sampleado 
SCARBEE CLAVINET/PIANET - Um Hohner D6 e Um Hohner pianet N multi-sampleados SCARBEE MARK I - Um Rhodes Mark I multi-sampleado 
SCARBEE MM-BASS - Sampler de baixo com articulação inteligente 
THE FINGER - Efeitos para remix criado por Tim Exile 
TRAKTOR'S 12 - 12 efeitos do Traktor 
UPRIGHT PIANO - Um piano de armário multi-sampleado 
VIENNA CONCERT GRAND - Um piano Bösendorfer 290 imperial multi-sampleado 
VINTAGE ORGANS - 5 órgãos multisampleados (Hammond B-3, C-3, M3, Vox Continental II e Farfisa Compact.
Dentre os softwares inclusos há novas edições de softwares consagrados, como o Absynth 5, sensacional para cliar climas para trilhas de filme de terror ou de ficção científica, mas as grandes diferenças em relação às versões anteriores vai ficar por conta dos novos instrumentos virtuais e efeitos, com especial atenção para o Vintage Organs e o Reflektor.
Vintage Organs
O Vintage Organs é um software fora do padrão. Ele não é baseado na tecnologia de modelagem física como a maioria dos outros softwares emuladores de órgãos, ele é sampleado, mas não perde a flexibilidade de manipulação sonora do órgão em si ou do sistema de amplificação que a Modelagem física permite, mas também mantém todos os "defeitinhos" do som original, e melhor, de órgãos reais escolhidos à dedo.

Sendo assim, além de ser possível chegar no som que você quiser, manipulando os registros ou controles de chorus/vibrato, distorção e EQ, dentre tantos outros no painle do próprio órgão virtual, é possível ajustar o amplificador ao qual ele está ligado, seja ele uma caixa leslie, um amp valvulado para guitarara ou um DI, bem interessante.

Este plug-ins, por assim dizer, apresenta as sonoridades clássicas dos instrumentos que fizeram história na música pop do meio do século passado em diante, como o Hammond B-3, Hammond C-3, Hammond M-3, Vox Continental II e Farfisa Compact. Cada um tem um painel dedicado (com características organizacionais iguais aos de seus colegas de mundo real) e têm funcões específicas de cada modelo. Estes podem rodar em standalone (no Kontakt Player, por exemplo) ou em qualquer DAW como plug-ins VST, AU ou RTAS. Veja o exemplo dos controles do Hammond C3 abaixo. 
Figura 4
Figura 5
figura 6
Figura 7
Reflektor
A Native Instruments está caminhando para tornar o Guitar Rig seu rack de efeitos para uso geral e não somente para processar sinais de guitarras ou baixos, portanto provavelmente no futuro este até mude de nome para algo menos específico, pois é estanho abrir o Guitar Rig em um canal auxiliar no Pro Tools, por exemplo, para servir de Reverb para outros canais, mas isso é apenas uma conjectura. De qualquer forma essa mutação já começou e o Reflektor é o primeiro rack de efeito a entrar no conjunto de Racks do Guitar Rig não específico para seu atual público.

O Reflektor é essencialmente um emulador de espaços físicos (reverb, se preferir), mas ele não é um reverb comum e portanto esse nome complexo cai bem.

Seu diferencial está na tecnologia Zero Latency Convolution que é proprietária da Native Instruments e está em processo de patente. Esta tecnologia permite, além da óbvia latência zero no processamento, ajustes suaves sem artifícios sonoros e uma incrível otimização de uso de CPU.

De fábrica ele vem com 350 respostas de impulsos (Impulse Response = IR) abrangendo uma ampla quantidade de espaços virtuais, mas também encontram-se nesta lista IRs de equipamentos reais como o TC Electronics Reverb 4000, o Yamaha SPX 2000, o Lexicon MX500 e até o AMT 140, entre outros. Há também IRs sintetizados e você pode usar a sua própria biblioteca.

Controversamente o Reflektor é ultra fácil de usar. Basta abrir o Guitar Rig dentro de seu software preferido e arrastar o Reflektor da coluna Componets para o rack; um painel com ajustes extras pode ser aberto clicando-se o pequeno triângulo da lateral direita.

A única coisa que eu achei estranho é que, como o Guitar Rig é para guitarra, ele vem com o canal de entrada L apenas ativado por default, resultando em um processamento mono. Normalmente reverbs são usados em canais estéreos, então para solucionar basta ligar o botão R ao lado do L, clicando sobre ele na faixa superior do Guitar Rig.
Figura 8
O primeiro ato obviamente é testar os diferentes presets. Para isso há uma caixa logo abaixo do nome do plug-in que acomoda alguns exemplos. Depois,  teste o navegador simples de usar: são 4 setinhas - as da esquerda e direita mudam a categoria e as de cima e de baixo mudam o IR das categorias selecionadas. Uma ajuda legal para facilitar a escolha é checar no início dos nomes dos IRs o decaimento do Reverb expresso em segundos.
Figura 9
Quais são os botões mais elementares de um reverb? Na minha opinião são o ajuste WET/DRY e Decay. No Reflektor os ajustes WET e DRY estão separados e portanto se você vai usá-lo como insert em canal auxiliar, por exemplo, deixe o WET no máximo e o DRY no mínimo. 

Para ajustar o Decay há um enorme botão para esta finalidade. Quando estiver abaixo de 100% um envelope corta o decaimento, ao passo que quando passa de 100% um envelope amplia o decaimento do reverb. Simples. No painel escamoteável o botão SYNC faz com que o botão Decay movimente-se em múltiplos do andamento da sessão onde o Guitar Rig está inserido como plug-in, bom para delays.
Figura 10
Só pelo poder desses dois brilhantes softwares já podemos ter uma noção bem clara do que vem no Komplete 7. Se você tiver paciência (e muito tempo), são mais de 10000 sons diferentes para testar, fora os inúmeros presets e plug-ins de efeitos que parecem não ter fim. Dica final: Se você tem férias vencidas agora é a hora.

14 comentários:

  1. Fála Daniel! Saiu o 8 né? Bem que você poderia falar um pouco do 8 aqui no Blog... Ah! Preço que é bom nada né? Estou suando a camisa pra achar Pro-Tools 9 (Windows 64) pra minha 1010LT... Mas aí, parabéns pelo Blog! Sempre que tenho tempo dou uma olhada aqui. Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Oi Nestor, vou falar do 8 logo mais aqui no blog, por enquanto estou no 7 ainda e nem uso tudo que tem. Sei que o 8 Ultimate vai vir com um HD externo para instalar direto sem DVDs na caixa, o que facilita o processo, mas bem que poderia ser já um HD de alta performance para não precisar instalar nada, mas daí ia ficar mais caro ainda...Abs.

    ResponderExcluir
  3. Olá daniel, tenho umas dúvidas. Você recomenda a instalação do Komplete 7 em um HD Externo. Mas esse HD não pode ser um Hd Convencional? Outra coisa, existem HD's de 7200rpm com conexão USB? Eu quero instalá-lo em um Notebook, o que você me recomenda?
    Agradeço se puder me ajudar! Abraço

    ResponderExcluir
  4. Olá Fabrício, recomendo instalar o Komplete em um HD externo sim, mas atente que o USB é para PC e Firewire para Apple. Não use HD USB no Apple junto com o Pro Tools nem firewire com Windows. Não mova a pasta do Komplete. Instale ele no outro HD e pronto. O único problema é que você vai ter que levar o HD sempre junto. Quem manda no esquema é o enclosure, os melhores são os da marca Avastor, eles já vem com um HD de 7200 RPM dentro que roda show. Abs.

    ResponderExcluir
  5. Olá Daniel! Antes de mais nada, parabéns pelo blog. Excelente! Já favoritei! Sou músico, e estou me iniciando no universo dos estúdios, produções e tecnologia musical. Tenho algumas dúvidas, e seria maravilhoso se voce pudesse me ajudar. Estou montando um pequeno estúdio em casa, para estudar e me desenvolver mesmo, e compor claro. Já tenho um Macbook Pro com Intel Core 2 Duo rodando em 2,4 GHz e com 4 GB de Ram e HD 250 GB, e um HD externo Western Digital My Book Studio com 1 TB e Firewire. Já encomendei uma Mbox 3 com Pro Tools 9/10 e pretendo comprar um teclado midi controlador bacana (ainda não decidi qual) e o Komplete 8. A minha idéia é produzir música apartir dos instrumentos virtuais e samples do Komplete, e utilizar alguns instrumentos "reais". Guitarra, violão, flauta... Qual é a melhor maneira de fazer essa ligação? Pelo que entendi, a maneira mais eficiente é a Mbox via usb no Mac e o HD externo via firewire no Mac, com o Komplete inteiro no HD externo. É isso mesmo? Voce acha que a conexão via usb da interface com o mac vai atrapalhar? Se for recomendado posso trocar a interface pela Mbox 3 Pro, e conectar via firewire. Mas e o HD externo eu conectaria de que forma?? Detalhe, seria um sonho poder utilizar esse sistema ao vivo também, teclado controlador + komplete. Desde já, muito obrigado!!!

    ResponderExcluir
  6. Oi Lucas, obrigado pelas palavras. A conectividade USB é tranquila e vai te dar uma latência bem baixa, portanto não há necessidade de trocar de interface. A forma de ligar está correta: Mbox na USB e o MyBook na Firewire. Eu também tenho um HD My Book e às vezes ele dorme, atrapalhando, fora que eu não gosto do software que vem com ele. O melhor seria um Avastor SDX de 7200RPMs. Entretanto, o WD funciona direitinho via firewire. No quesito controlador a dica que vou te dar é pessoal: Eu gosto dos controladores da Novation, principalmente os SLMKII, mais que essa linha nova. Se você achar um usadinho aí é uma boa pedida. Fora isso tenha em mente que para usar ao vivo quanto mais recursos de controle melhor, botões, knobs e faders. Abs.

    ResponderExcluir
  7. olá amigo sou nova qui achei seu blog muito legal, gostaria de saber se 0 pro tools 9 é compatível c/ windows 8 abç,xandy

    ResponderExcluir
  8. Olá Xandy, oficialmente o PT 9 é compatível até o Windows 7 com service pack 1. O Pro Tools 10 também não está homologado oficialmente com o Windows 8 também. Por enquanto é melhor ficar no Windows 7 Home Premium, Professional, Ultimate ou Windows 7 com Service Pack 1. Abs

    ResponderExcluir
  9. Pessoal, Bom dia!
    Sou novato aqui e minha dúvida pode ser bem simples para vocês amantes de VST e tal.

    Eu toco contra-baixo e na busca por melhores timbres e sem grana para comprar um GK. resolvi explorar meu Macbook utilizando uma placa de som ROLAND - QUAD CAPTURE. ela esta me atendendo muito bem, pois sintetizo amplificadores e pedais no MAC. notei que ela tem portas MIDI e ai vai minha dúvida:

    posso utilizar um controlador MIDI para acionar VSTs de teclado e melhorar as musicas, mas como eu faço para ficar com metade do controlador tocando timbre de contra-baixo?


    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rodrigo, muito pertinente sua questão. A maioria dos aplicativos de música permitem o controle através de conectividade MIDI, assim não é necessário pilotar o mouse enquanto estamos tocando. O primeiro passo é visitar as configurações do aplicativo, na parte relacionada ao MIDI e verificar se as entradas e saídas MIDI estão ativas, da sua Roland no seu caso. Após isso é necessário conectar um equipamento de controle MIDI, tipo uma pedaleira, na entrada da Quad Capture, assim o sinal MIDI sai da controladora e chega na interface, que é encaminhado em seguida para o software.
      No Software, geralmente o processo para definir o controle é apertando o botão direito do mouse sobre o parâmetro que se deseja controlar, escolhendo a opção Learn (aprender) e pressionando ou movendo um botão físico na controladora. essa vai emitir um comando de controle que o aplicativo vai reconhecer e definir. Basicamente é isso. Dessa forma você pode definir qualquer parâmtero de controle e isso fica salvo com a sua sessão ou preset. Abração.

      Excluir
  10. Oi, Daniel. Tenho o Komplete 9 e queria saber se posso instalar somente os teclados, (pianos, órgãos e sintetizadores) e as cordas e metais ou preciso instalar todos os 12 dvds? Tenho um laptop Acer com windows 7, 2,5 GHzz, 2 GB VRAM, 8 GB DDR3 e 1 tera de HD. Aguenta? Tenho um Yamaha P70 e queria usá-lo com a entrada midi. Também comprei a audiobox da presonus. Obrigado.

    Reinaldo do Nascimento

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Reinaldo, pode sim, mas a instalação é feita por módulos, tipo Kontakt, Absynth, etc... Abs.

      Excluir
  11. Olá Daniel ! Preciso usar meu Komplet 7com o pro tools 11 e também em tempo real direto na tela, acho que se diz: standard... mais não estou conseguindo, quando fui fazer o Doenload do kontakt player 5 não veio o serial no email que a native manda para fazer o download ai não funciona, oque eu faço? Eu tenho direito de usar os sons da minha biblioteca do Komplete porque comprei com nota fiscal não ? E como eu vou fazer isso se eu não consigo o player dos softwares que acompanham o produto. Qual a solução para isso ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Décio, desculpe mas não entendi direito seu questionamento. Primeiro você tem que atualizar tudo utilizando o aplicativo da própria Native Instruments, o Service Center, que fica na pasta de aplicativos da Native Instruments. Depois de todas as atualizações baixadas a compatibilidade fica garantida. Atente que agora o Pro Tools 11 só aceita plug-ins AAX de 64Bits, por isso que tudo tem que ser atualizado. RTAS e AAX de 32 Bits não funcionam mais. Quando você acessar sua conta na NI estarão lá todos os seus números de série e as ativações, se não aparecer por lá significa que você ainda não registrou-os, portanto utilize o cartão de registro para fazer isso. Eu acho que alguns plug-ins não vão funcionar mais, por causa da incompatibilidade, pois a NI tem um Komplete mais novo, mas não sei se procede, melhor verificar no site da NI. Abs.

      Excluir