BEM-VINDO AO MEU BLOG!

Aqui no meu blog você vai achar dicas de Computer Music, especialmente de Pro Tools, Reason, Live, áudio profissional e Homestudio. Alguns trabalhos artísticos que eu fiz também têm seu espaço. Há muita informação legal nos comentários. Use a caixa de pesquisa logo abaixo para achar um assunto que você está procurando.

Boa navegação!

Workshop Genelec

Semana passada participei de um treinamento internacional sobre monitores de referência com o especialista de produtos da Genelec, pessoa bem esclarecida tecnicamente e de ar amigável. Você deve saber sobre quais monitores estou falando... Aqueles arredondados com um pezinho de borracha...Certeza, pis provavelmente esta é uma das marcas de monitores de referência mais expressiva dos últimos anos.

A Genelec vem plantando a sua semente no mundo dos monitores de referência e se tornou praticamente um standard, já que as NS-10s começaram a desaparecer e as Genelec apareceram em seu lugar, por que será? Mas o que mais me impressionou no treinamento não foi a resposta plana de frequências, nem o SPL a um metro da 8010, nem o corpo ecológico da série M e nem o sistema de calibragem (SAM) da série digital que tem o dígito 2 indicando essa qualidade, como a 6240. Minto. fiquei impressionado sim, mas o que mais me chamou a atenção mesmo foi uma palavrinha que me veio à cabeça no meio do treinamento e que é muito rara em nosso país, confiança.

O que a Genelec vende é confiança. Confiança que o seu investimento (relativamente alto) vai durar pelo menos uns 10 anos, 20, talvez 30. Que o som dela vai ser o mesmo no dia que você comprou e no dia anterior ao dia que ela parou de funcionar depois de alguns muitos anos e que ela vai ter aquilo que você realmente está procurando: som verossímil. Desculpe se está parecendo papo de vendedor ou técnico comercial, mas não é minha intenção. Quero apenas expressar meus pensamentos sinceros.

 A icônica 8030 da Genelec agora está na versão c, ou seja: terceira geração e acaba de ganhar o novo recurso ISS (Intelligent Signal Sensing) que desliga o monitor após um certo período quando não há sinal de áudio presente, consumindo algo em torno de 0,5W nesse estado. Esse monitor não é de ontem. Ele está no mercado há muito tempo e tem garantido escuta crítica e privilegiada a muitos ouvidos e praticamente nada mudou em seu design. Só recursos é que foram adicionados.

Outra coisa que não me impressionou também foi as incríveis fronteiras de 26Hz e 40kHz da 8260 (ok, estou mentindo de novo, fiquei impressionado sim), mas eu fiquei mesmo muito impressionado com o controle de qualidade da Genelec.

Cada monitor é testado individualmente. Todos. Ponto.
Os amplificadores são calibrados individualmente no andar superior da fábrica até o ponto onde ficam idênticos. Em seguida o monitor é montado no andar de baixo, mas como a relação amplificador e transdutor pode criar algumas mudanças no som, em parte relacionada à impedância variável desse conjunto, mesmo que mínimas, o monitor montado entra em uma estação individual de trabalho com uma câmara anecoica e é testado novamente. Nesta o aplicativo MLSSA  é utilizado por um técnico que alinha a resposta do monitor através de trimmers, equalizando-os conforme o estrito padrão da fábrica, muito estrito. Dessa forma qualquer par de caixas é um par casado. Todos os monitores são assim.  E essa é só a série 8000, a primeira da série profissional. Imagine o resto, onde moram os nearfiels e farfields de várias dezenas de milhares de dólares por par...

Fora este há inúmeros outros testes, como a caixa de metacrilato onde os monitores sofrem com uma descarga elétrica de 3000 Volts, para assegurar que o projeto não fará nenhum cliente sofrer em seu estúdio, mas o controle de qualidade que eu mais gostei foi esse:

O pessoal coloca o monitor em uma estação específica, daí eles conectam uma mangueira no duto de saída de ar dos monitores e injetam ar. Um aplicativo de computador então faz a varredura de movimento de ar em torno da caixa para ver se há algum vazamento pelo LED, pelos conectores, botão, encaixe do corpo... Se existir, a caixa volta para a linha de produção, se não existir ela passa ao próximo teste.

Tem mais ainda, mas não quero fazer uma tese de doutorado sobre controle de qualidade. Agora a pergunta: você sabe quais são os testes dos outros monitores que estão no mercado? Provavelmente um monitor de baixo custo tem seu preço atrelado em parte ao quanto de tempo não se gasta com ele para saber se ele está todo certo ou com mão de obra duvidosa. Neste caso pense melhor quanto vale seu dinheiro e quanto de honestidade há naquilo que você compra.

Monitores Genelec são totalmente feitos na Finlândia, à mão. As placas com os componentes eletrônicos são montadas por braços robóticos em caixas seladas, mas as peças maiores e mais delicadas são soldadas à mão por humanos com uma criteriosa noção de qualidade e destreza, normalmente mulheres.

Só essas coisas já são uma boa característica, mas provavelmente um dos fatores que faz a Genelec se destacar mais que as outras fabricantes é a sua postura verde. Até o logo é verde! Os monitores são recicláveis, não há impacto ambiental, controle sobre a pegada de carbono e isso transparece no novo material do corpo da série M e até nas caixas de papelão dos produtos.

Já viu a fábrica da Genelec no Google Earth? Eu moraria lá, em volta daqueles bosques de coníferas, andaria de barco naquele lago... Ok, prefiro uma praia. Aquele lugar deve ser frio demais no inverno e não sei se tem muita coisa para fazer ao ar livre em Iisalmi durante o inverno...pelo menos para brasileiros...

E o som? Obviamente muita gente vai dizer que o som Genelec é "mais pra frente", mais agudo, estridente, que são muito cirúrgicos e que não dá para ouvir música neles, só mixar, mas eu gosto. Tá certo que algumas vezes eu escuto um disco que não ouvia há tempos e penso: -Nossa, o cara errou nesse equalizador, ou: -Essa voz tá meio baixa.


Para mim o som é maravilhoso. Firme e detalhado, bem apropriado para minha laia virginiana. Isso sem falar da reprodução da espacialidade, que é incrível e difícil de escutar em outros monitores, mas confesso que tem uns onde todas essas características também estão presentes sim, mas são mínimos. Aliás, falando disso, existem também os Dynaudio que conheço bem, os Adams, e é claro, os Neumann (Tecnologia Klein + Hummel) que são excelentes, maravilhosos, doces, mas o som que eu gosto mesmo, como cliente, vem de uma Genelec 8030. Perfeitas para meus ouvidos.

6 comentários:

  1. Oi Daniel, legal o post e acabo me perguntando: Ao se mixar com caixas tão boas e caras, onde podemos encontrar ouvintes comuns que terão o mesmo padrão de qualidade para ouvir nossas mixes? Ja vi alguns engenheiros dizer que a NS10 eram na verdade uma representação do que o ouvinte teria em casa, portanto a mix teoricamente soaria equilibrada lá tbem... e ai hoje a maioria escuta no carro ou através de fones de ouvido, o que seria mais coerente hoje, uma caixa de médio porte ou investir alguns bons $$$ em um par de Genelec ???? valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renato, monitoração é uma questão complicada e bem pessoal. A NS-10 era uma caixa tipo padrão da época em que foi lançada, com uma curva de resposta mais "natural" daquela época onde nem existiam subwoofers à disposição do público. Hoje o cenário mudou completamente e o grave e subgrave dominaram a música pop, portanto ter um sistema de monitoração que inclui um subwoofer é essencial nos dias de hoje. Em relação à qualidade meu modo de pensar é o seguinte: Acredito que os "clientes finais" normalmente estão usando muito mais fones de ouvido hoje do que caixas de som em suas salas/quartos. Também eles continuam ouvindo música no carro, mas é o fone que está disparado na escolha principal de escuta de música hoje, portanto os fones de ouvido hoje tem uma resposta de frequência muito maior do que um par de caixas de pequeno porte comumente encontradas nos aparelhos de som hoje. Sendo assim, temos que ouvir esta mesma margem de frequências, mas não podemos nos ater aos fones de ouvido, pois é impossível mixar o palco sonoro. Outro problema é que a maioria dos fones de ouvido são ajustados para ter uma resposta de frequência muito diferente das planas, ou seja, ele evidencia as frequências da moda (os graves e subgraves em alguns modelos) e também as médias altas, que nos soam como nitidez e clareza. Se mixarmos em uma caixa de som similar a esse tipo de curva estaremos mixando errado, pois cada caixa tem um desvio do padrão e a sua pode ser menor que a do seu vizinho e daí na dele vai "estourar" o som, portanto o ideal mesmo é seguir com monitores de resposta plana e também verificar o som em vários ambientes e sistemas diferentes. Acredito que nada substitui um bom par de monitores com som clínico, portanto indico a compra de um destes, mesmo que sejam muito caros, mas é um investimento que se paga ao longo dos anos de uso. Para finalizar devo lembrá-lo que o que importa mesmo é a sua referência. Se você conhece a sua caixa, você sabe mixar com ela e pode chegar no resultado ideal sempre, mas um bom monitor vai te mostrar coisas que não existem em caixas convencionais. Abs.

      Excluir
  2. Obrigado Daniel, e como faço para saber a dimensão exata dos monitores para o tamanho da minha sala? Ou não seria o caso, escolho o tamanho do monitor olhando para o bolso? Meu sonho era poder contar com a Genelec, vi que existe uma gama muito extensa de opções... Como escolher certo um par dessas grandes caixas, afinal como vc disse é o tipo de monitor que vc não troca todo ano! Abç.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Renato, quanto maior o monitor, maior a resposta de graves e maior cobertura de volume haverá em salas grandes, portanto o tamanho do monitor está relacionado diretamente ao tamanho da sala. Para você ter uma ideia, a 8030 consegue perfeitamente acomodar 100dB SPL com um limite inferior de 55Hz em até 75m3 (metros cúbicos), ou seja: uma sala de até 5m x 5m x 3m, por exemplo. A menorzinha da Genelec, a 6010 consegue 96dB SPL em 55m3 com um limite inferior de 73Hz. passando do tamanho recomendado a caixa começa a perder a sua força para as reflexões do ambiente. Uma saída boa é ter monitores pequenos e um subwoofer para complementar a extensão de graves, portanto uma caixa pequena como a 8020 e um sub 7050 faria um conjunto excelente. Nada impede que você tenha caixas maiores para uma sala pequena só o volume que vai ter que diminui, o contrário é que deixa a desejar: caixas pequenas para sala grande. Abs.

      Excluir
  3. Bom dia amigo... estou atrás das bases de borracha pra monitores genelec 8020a, sabe onde posso encontrar 2 para vender ? Algum contato com fornecedor etc ....

    Agradeço desde já !

    Robson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Robson, sim, entre em contato com a Helena da Quanta Service: (19) 37414640. Abs.

      Excluir